Cirurgia Bariátrica, o desafio.

Progresso

LilySlim Weight loss tickers

quarta-feira, 30 de março de 2011

Novo médico.

Oi pessoal, tudo bem? Estou meio sumida, tava ultimamente meio sem novidades, na verdade só esperando o tempo passar...

 Mas hoje eu tenho 1! rsrs

Quarta-feira, dia 06, vou consultar com o Dr. Daoud Nasser, um médico renomado, que na ultima semana foi eleito presidente da Unimed de Maringá.

Irei conversar com ele também, pra ver a opinião dele sobre a técnica, e talz, e estudar a possibilidade de fazer a cirurgia em Maringá, que é bem pertinho, ao constrário de Curitiba, q é longe pra caramba.

À principio nada mudou, mas existe essa possibilidade, talvez por um preço melhor porque o cunhado da minha irmã (que fez a cirurgia de redução de estomago com ele há 2 ou 3 semanas) é amigo dele, e vai junto comigo... alias, eu vou junto com ele, na reconsulta, ... gente o cara é tão procurado que há 2 semanas atras tentei marcar consulta com ele, ele so tinha vaga pra dia 28/04, e eu falei putz!

Bem, na verdade quem faz particular é mais rapido, mas paga caro heim..
Bomm, me desejem sorte!!

Um grande abraço!!

segunda-feira, 28 de março de 2011

É possível voltar à vida normal até 1 mês após a cirurgia de obesidade

Cirurgião do aparelho digestivo Arthur Garrido tirou as dúvidas da internet.
Pacientes que quiserem fazer exercícios devem esperar cerca de 2 meses.


                           Na sequência do Bem Estar desta quarta-feira (23), o cirurgião do aparelho digestivo Arthur Garrido disse que, após a cirurgia de obesidade, o organismo do paciente continua absorvendo nutrientes, e a desnutrição só ocorre em casos raros. É importante, porém, seguir uma orientação nutricional e não ingerir alimentos que possam causar prejuízos.
                          Segundo Garrido, o risco na mesa de cirurgia é praticamente zero. O que pode acontecer são complicações nos primeiros dias depois da operação, como problemas pulmonares, circulatórios ou do próprio procedimento, como má cicatrização de algum ponto. Mas a frequência desses casos é muito baixa: entre 1% e 2% do total.
                          Em geral, de 2 a 4 semanas após a cirurgia é possível voltar às atividades normais, como trabalhar, cuidar da casa e dos filhos. Quem quiser fazer exercícios físicos deve esperar um pouco mais: 2 meses.
                          O médico destacou, ainda, que as consequências negativas ao organismo dependem de cada método cirúrgico, mas são efeitos benignos, bastante suportáveis e contornáveis, além de muito menos perigosos à saúde que a obesidade. Garrido afirmou que não basta ser operado, é preciso ser acompanhado antes e depois disso.

                          Algumas técnicas de cirurgia de obesidade podem provocar diarreia, mas são menos usadas. De acordo com Garrido, a grande maioria das operações são cobertas pelos planos de saúde, e entre 5% e 10% são feitas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Quem faz isso de forma particular tem um gasto que varia de R$ 20 mil a R$ 40 mil, dependendo do tipo de procedimento e do hospital.
                          Não é possível diminuir o tamanho do estômago apenas com dietas, e o órgão também não se regenera depois da cirurgia, segundo o especialista. O que pode haver é uma pequena dilatação em alguns casos. Além disso, ele esclareceu que 90% das operações de obesidade atualmente são realizadas por videolaparoscopia, de forma menos invasiva. Além disso, a recuperação é mais rápida e confortável.
                          Por fim, Garrido explicou que o balão intragástrico não é um procedimento cirúrgico, pois é feito por endoscopia. A sensação é de que há comida no estômago, por isso diminui o apetite. O balão deve ser removido depois de seis meses e, para obesos mórbidos, costuma ter resultados apenas temporários.
Fonte: g1.globo.com

quarta-feira, 23 de março de 2011

Risco de Mortalidade x Obesidade

Risco de mortalidade associado diretamente à quantidade de anos vividos com obesidade


Nova pesquisa mostra que a quantidade de anos que a pessoa vive sendo obesa interfere diretamente nos seus riscos de mortalidade. A descoberta foi feita à partir da análise de dados recolhidos para o Framingham Heart Study. 5209 participantes foram acompanhados durante 48 anos, sendo que nenhum deles havia sido diagnosticado com diabetes, doenças cardíacas ou câncer antes de o estudo começar.
Os resultados da pesquisa mostraram que pessoas que foram obesas entre 5 e 14.9 anos tinham riscos de mortalidade duas vezes mais altos do que pessoas que nunca foram obesas. Já as pessoas que tinham sido obesas por mais de 15 anos tinham uma taxa três vezes mais alta. Cada dois anos que a pessoa convive com a doença aumentam os riscos de 6 a 7%.
A Dra. Anna Peeters, da Universidade Monash (Austrália) afirma que “nós não sabíamos se ser obeso por mais tempo era pior para sua saúde do que simplesmente ser obeso. Porém, essa pesquisa mostra pela primeira vez que ser obeso por mais tempo aumenta seu risco de mortalidade, não importa o quão pesado você seja”.
 A pesquisa foi publicada no International Journal of Epidemiology

Vi no: http://blogboasaude.zip.net/

terça-feira, 22 de março de 2011

Criança chinesa de 3 anos pesa quase 60kg


O pai sofre para pegar o menino no coloO pequeno Lu Hao está perigosamente acima do peso. Com apenas 3 anos de idade, a criança pesa quase 60 kg, cinco vezes mais que os outros meninos da mesma idade. Em entrevista para o tablóide inglês The Sun, os pais de Lu Hao disseram que desistiram de tentar impedir a ingestão excessiva de alimentos, pois todos têm medo do menino.
- Temos que deixá-lo comer. Caso contrário, ele chora sem parar. Admite a mãe, Chen Huan. 

O pai sofre para pegar o menino no colo / Foto: Reprodução O pai, Lu Yuncheng, que sofre para pegar o filho no colo, revela detalhes do apetite do menino.
- Em uma única refeição, ele consegue comer três tigelas grandes de arroz, maiores até que a minha e a da minha esposa.
A criança já foi banida de ir ao berçário, por ser considerada um perigo para os outros bebês.
Ironicamente, Lu Hao nasceu com pouco mais de 2kg mas, a partir dos três meses de vida, começou a acumular peso e não parou desde então.
Um levantamento recente do governo chinês mostrou que há 60 milhões de pessoas obesas no país.
Mesmo com brincadeiras simples, Lu Hao perde o fôlego facilmente
Mesmo com brincadeiras simples, Lu Hao perde o fôlego facilmente / Foto: Reprodução
 
O menino começou a ganhar peso aos três meses de vida
O menino começou a ganhar peso aos três meses de vida / Foto: Reprodução
 

O pequeno chinês pesa cinco vezes mais que os meninos da mesma idade
O pequeno chinês pesa cinco vezes mais que os meninos da mesma idade 
 

Segundo o pai, a criança como até três tigelas grandes de arroz em uma única refeição
Segundo o pai, a criança como até três tigelas grandes de arroz em uma única refeição / Foto: Reprodução




Ai que dózinha gente...uma criança dessas, inocente e sofrendo com obesidade tão cedo...
 =/

segunda-feira, 21 de março de 2011

Bullying & Obesidade

Vi hoje a entrevista com o garoto Casey Heynes, que sofria bullying no colégio e revidou às agressões.


É muito triste ver essa geração, fruto de talvez uma má criação, mimos e exageros associadas à falta de respeito ao ser humano, que não tem compaixão.

O garoto Casey é um exemplo de educação, paciencia e muito auto controle, mesmo após ter revidado.

Durante 3 anos. TRÊS ANOS! Ele suportou provocações, agressões e muita solidão, por conta do bullying, nesse caso, relacionado à sua obesidade.


Gwyneth Paltrow - no filme "O Amor é Cego"
 
As crianças sabem ser muito cruéis. Elas falam, riem e isolam as vítimas. As crianças fazem isso, mas muitas vezes, não entendem o mal que podem causar à outra. Mas os adolescentes e adultos, são muito concientes dos danos e pior: fazem isso para se projetarem perante os outros.                                                                          Infelizmente não é só as crianças e adolescentes que sofrem bullying. Muitos adultos e grande parte por causa da obesidade. Faz menos de 1 mês que estou frequentando blogs internet a fora e a frase que mais se repete é: "Só quem é obeso sabe como é o preconceito e as dificuldades que enfrentamos."

E é verdade! Não importa se você tem apenas sobrepeso ou é obeso mórbido. Você sempre percebe algum movimento diferente em relação à sua obesidade. Algumas vezes as pessoas fazem isso involuntariamente, outras vezes de propósito, mas sempre, sempre é dificil lidar com isso.

domingo, 20 de março de 2011

Fobi e Capela versus Sleeve


Olá fofurinhas!

Tudo bem com vocês?? Tive uma semana bem tumultuada.
O cunhado da minha irmã fez a cirurgia bariatrica e o método "sleeve" e fica tentando me convencer a fazer o mesmo método.

Este método só diminui o estomago e não altera o intestino, veja:

A pessoa não vai ter queda de cabelo, nem deficiencia vitamínica, nem o risco de sofrer dumping.
Porém existe o risco de voltar a engordar, ja que o intestino não estará colaborando com a "má absorção dos alimentos."

Mas eu estou irredutível. Acho que o metodo Fobi e Capella é bem mais garantido, para quem quer emagrecer e permanecer magro.
Por favor, me dêem suas opiniões!!

Um abraço!

quarta-feira, 16 de março de 2011

Adolescente britânica pesa mais de 250 quilos aos 17 anos

Aos 15 anos, ela conseguiu perder 89 quilos em um campo de emagrecimento nos EUA, mas de volta à Grã-Bretanha ela ganhou mais de 130 quilos em 20 meses.

 

Aos 17 anos de idade, Georgia Davis é conhecida como a adolescente mais gorda da Grã-Bretanha, ultrapassando a marca dos 250 quilos.

Cerca de dois anos atrás, ela foi notícia porque conseguiu perder quase metade de seu peso em um programa de emagrecimento nos Estados Unidos.

Quando chegou à Wellspring Academies, na Carolina do Norte, em 2008, ela tinha 15 anos e pesava 210 quilos. Quando saiu de lá, nove meses depois, ela havia perdido 89 quilos.

Mas de volta à sua cidade natal, Aberdare, no País de Gales, ela recuperou todo o peso e ganhou ainda mais, voltando a aparecer nos jornais, desta vez por bater recordes de obesidade.
Georgia Davis deu uma entrevista para a BBC sobre sua luta para emagrecer (Foto: BBC)Georgia Davis deu uma entrevista para a BBC sobre sua luta para emagrecer (Foto: BBC)
'Vício'
Em entrevista à BBC, Davis disse ser 'viciada em comida' e atribuiu o fracasso em continuar emagrecendo ao fato de que ela foi colocada de volta no 'ambiente negativo' de sua casa, onde ela tem que enfrentar vários problemas e lembranças difíceis.
Muitos culparam sua mãe pelo deslize, já que a adolescente foi recebida com um prato de peixe empanado com batatas fritas quando voltou dos Estados Unidos.
Mas o porta-voz da ONG britânica National Obesity Forum, Tam Fry, acha que a própria Georgia deveria se preocupar com seu futuro.
'Ela foi um pouco negligente, porque aos 16 ou 17 anos já deveria ser capaz de preparar sua comida e de se esforçar para se exercitar. Em vez disso, ela se desconcentrou e voltou para seus velhos hábitos. É uma pena', afirma ele.
Especialistas dizem que se continuar nesse ritmo Georgia não vai chegar aos 21 anos de idade, já que seu coração, suas articulações e seu sistema circulatório estão sob enorme pressão.


Dificuldades em casa
Davis diz que seu problema com o peso começou depois que seu pai morreu, quando ela tinha cinco anos de idade. A partir daí, a comida passou a ser sua fonte de conforto.
'Eu comia de tudo, qualquer tipo de comida', disse ela em entrevista à BBC.

 Pão, leite, coca-cola, batatas fritas, biscoitos de chocolate e bolos eram seus favoritos.
'A comida fazia eu me sentir melhor por um minuto ou dois, mas aí me sentia mal novamente e comia novamente e assim por diante', disse Davis.
'Eu comia praticamente o dia todo.'

Durante o período que passou na Wellspring Academies com uma bolsa oferecida pela instituição - um internato que oferece educação escolar, além de um programa de dieta e exercícios complementado com sessões de terapia cognitiva comportamental - seu consumo de calorias teria caído de 13 mil por dia para cerca 1,2 mil.

'Eu fui tirada do ambiente em que eu vivia, onde tinha todos esses problemas, e fui colocada em um lugar novo (a Wellspring Academies), onde não tinha que lidar com nada daquilo. Tudo era feito para mim, eu só precisava pegar aquilo e usar para meu benefício', disse Davis à BBC.

'Mas aí fui tirada dos Estados Unidos e colocada de volta naquele ambiente onde tinha todos aqueles problemas e aquelas lembranças. Isso sem nenhum treinamento sobre como lidar com isso em casa. Acho que essa foi a principal razão de eu ter voltado para o jeito que eu era antes.'

Quando começou a engordar de novo, Davis ficou deprimida, o que segundo ela a fazia comer ainda mais.
Agora, pesando 254 quilos, Davis conseguiu o apoio de uma equipe de nutricionistas e especialistas em exercício no País de Gales, além de estar usando técnicas de hipnoterapia e relaxamento para tentar voltar a emagrecer.

Fonte: g1.globo.com

Será que alguém por favor, poderia contar pra ela que existe a CIRURGIA BARIÁTRICA??

Sem mais para o momento.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Don't stop me now!!

Só de saber que minha vida vai mudar, eu ja consigo enxergar muitas coisas de forma diferente.
Alguem uma vez me disse: "Tudo vai mudar, as pessoas no trabalho, na rua, nas festas, onde quer que você for vai ser diferente e principalmente pra você mesma."

E eu ja sinto diferente, eu ja consigo imaginar. Parece que minha vida vai começar a partir daquele dia... e que agora estou só na preparação da grande festa.

Por isso, mostro a vocês uma musica de uma banda que eu AMO, mesmo tendo a conhecido depois que o vocalista morreu e a banda se desfez.

amo amo amo o Freddie. s2

sexta-feira, 11 de março de 2011

Ansiedade!

Faltam 45 dias pra minha cirurgia!

Estou ansiosa pra caramba... fico horas na internet só pesquisando, só vendo videos e cirurgias...

As vezes observo as pessoas, a forma como elas me veem e como me tratam e fico imaginando como vai ser depois, quando eu for magra...

Tem alguns rapazes que se interessaram por mim do jeito que sou, e outros não me deram muita atenção, ou se interessaram pela minha amiga.

Meninas, eu vou contar um "causo" . Rsrs...

Quando minha irmã começou namorar com o marido dela, ele, que era da cidade vizinha, veio na minha casa e trouxe um amigo dele, para não voltar sozinho a noite (acho). E ai, enquanto eles conversavam lá fora, eu fiquei fazendo sala pro "bonito", conversando, sendo super simpática com o cara.

Quando foi no outro dia, o meu cunhado me contou o comentário dele...
Da pra acreditar, que ele teve a capacidade de dizer pro meu cunhado que ia ficar comigo se eu fosse magra...

<pausa para ficar pasmada>

MEU DEUS como que pode um cara falar uma coisa dessas??  Eu fiquei muito, muito brava, quem ele pensa que é??
E quem disse que EU ia querer alguma coisa com ele?

A verdade é que ele é um ex-gordo, não gastroplastizado, mas por regime... e ele tem preconceito. As meninas que ele namora sempre são muito magras.

Agora me diz:Como que ele pode ter preconceito se ele ja foi gordo e nem é tão magrinho assim??

Isso é um absurdo. É lamentável que existam pessoas assim.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Depoimento da Janete


Depois que assisti o vídeo da Janete, eu comecei a realmente ter uma noção do que eu vou enfrentar. Para quem vai fazer a cirurgia, isso é muito, muito interessante, porque você vivencia junto com o que a Janete conta e ja imagina como vai ser o seu.

Muito obrigada Janete, pelo seu depoimento!

Eu quero agradecer às meninas lindas que comentaram no meu post anterior. Foram os primeiros comentários do meu blog. Confesso que eu fiquei com medo da reação de vocês.
Fico feliz que vocês me entendam. Sejam bem vindas, estamos juntas!

Um grande abraço!

sexta-feira, 4 de março de 2011

Exames

Os Exames

Como eu já havia feito os exames de sangue e endoscopia, ficou faltando o Raio-x, Eletro-cardiograma e Ecografia Abdominal Total. Eu queria fazer todos num só lugar, porque em Curitiba é tudo longe, então ficava mais fácil. Só que das 4, nenhuma das clínicas que eu liguei faziam todos os exames, sempre faltava algum. No fim eu acabei fazendo todos lá no Hospital Angelina Carom mesmo, pois o Dr. Wilson havia dito que lá tinha todos. Para isso eu tive que enfrentar algumas filas, perder a manhã inteira, mas pelo menos, estava tudo feito.

Os Resultados

A Ecografia ficou pronta na hora. O Raio-x e o Eletro-cardiograma ficaram prontos uns 3-4 dias depois.

Fui buscar os exames e tive uma surpresa: O meu eletro-cardiograma deu uma alteração.
O resultado do laudo diz:

Rítmo: Sinusal  e "Alteração da repolarização ventricular em parede inferior"

No dia 22 eu voltei pra minha cidade,  ontem voltei a trabalhar, e aproveitei para passar o fax dos resultados para o Dr.Wilson ver.

Estou bastante ansiosa a respeito desse eletro! Liguei lá pra saber se o Dr.Wilson já tinha visto, mas a Margarete falou que o Dr. Wilson não atende na sexta feira e por isso, e por causa do carnaval, só irei saber o resultado na quinta-feira que vem, quando ela vai me ligar pra me falar o parecer do Dr.Wilson.

Estou com medo, sério.

A hora da verdade

Entramos, cumprimentamos o Dr. Wilson e sentamos. Esperei ele perguntar algumas coisa e como estava muito ansiosa e ele demorou, eu comecei a falar.
Minha estratégia foi muito bem pensada e eu comecei falando do meu problema com Hernia de Hiato. Falei que tinha ido em outros médicos e eles diagnosticaram a hernia de hiato e que eu sofria muito com isso e tal.. e disse que queria operar da Hernia (nesse momento ele deve ter pensado "ué?") e que quando o Dr. fosse operar a hernia, queria que ele POR FAVOR fizesse a redução do meu estomago. Rsrs eu rodeei, rodeei pra chegar no assunto que mais me interessava. E ai chegou a hora da verdade, a resposta dele!
Ele disse: Qual sua altura? e eu respondi e ele pediu pra eu pesar naquela "pequena" balança: Era uma balança gigante, e minha irmã até brincou: Nossa que balança grande!! E ele disse que tinha que ser reforçada mesmo e as vezes ela quase não dava conta... Meu peso deu 85,6.
Então, ele calculou meu IMC e disse: "É, seu peso da pra fazer a cirurgia sim." Naquele momento, meu coração explodiuuu de emoção, e eu respondi: "Dá?? Aiii que bomm!" Mal podia acreditar!!! Eu nem estava esperando que seria tão facil, eu nem precisei implorar pra ele. E ele completou "...mas não vai dar pra ser pelo Plano de saúde e nem pelo SUS". Depois ele explicou varias coisas e disse que a associação médica está brigando na justiça para que o Ministério da Saúde libere a cirurgia bariatrica para pessoas com IMC acima de 33 que possuem co-morbidades, e aí os planos e o SUS serão obrigados a cobrir.
Disse também que o médico que inventou a técnica Fobi-Capella fez essa cirurgia na própria filha dele, que tinha o IMC 32.
O Dr Wilson explicou que quando a pessoa tem o IMC mais baixo também corre menos riscos de complicações na cirurgia e nessa altura eu ja estava nas núvens.Eu flutuava!!
Ele olhou os meus exames, estavam tudo OK, e pediu  mais algus exames: RX Torax, Ecografia Abdominal Total, Eletro-cardiograma e o Laudo do Psicologo. 
Ao fim da consulta, ele me passou as papeladas e me encaminhou para Claudirene, para tratarmos do assunto mais doído: o $$.
Mas naquela altura, eu fazia qualquer negócio para atingir o meu objetivo!

Eu mal podia acreditar que todos os meus temores eram em vão e que tudo iria mesmo acontecer...Eu flutuava!!!

O Consultório

Antes de ir pra Curitiba, eu fui conversar com um médico amigo do Dr. Wilson aqui da minha cidade, o Dr. Alberto,  e pedir pra ele me ajudar, tipo, ligar pro Dr. e pedir pra ele me atender com carinho e tal, porque eu tava com muito medo do Dr. não aceitar fazer cirurgia em mim. E quando eu falei isso pro Dr. Alberto, a primeira coisa que ele me disse foi: ELE NÃO VAI TE OPERAR. Carente  Gente... eu quase morri do coração, e pedi pra ele mesmo assim tentar e tals, mas enfim, se eu ja estava insegura, eu fiquei muito mais..
O Dr. Wilson Paulo dos Santos, atende no Hospital Angelina Caron, em Curitiba. Eu fui passar minhas férias na casa da minha irmã que mora lá e aproveitei pra consultar com o Dr Wilson.
Saí da minha cidade, já com alguns exames em mãos: Exames de Sangue, Coagulograma, TS4, TSH e Endoscopia, para adiantar caso o Dr. me operasse. Eu estava com muita fé mesmo que ia conseguir.
A consulta era a partir das 8h da manhã e eu consegui chegar lá 8h05. Perguntei na entrada principal onde era a consulta e me encaminharam para o ambulatório... e quando cheguei lá ja vi aquela multidão: muitas pessoas mesmo! Tinha 2 entradas, uma era o Pronto Socorro e a outra. Como o PS estava mais vazio, entrei por lá e perguntei. Enfim, tive que voltar no lado mais lotado de gente e pegar uma SENHA para ser atendido. Bem, eu devia ter sido a ultima a chegar, porque tinha 50 numeros na minha frente...
Esperei, esperei, e por fim não foi tao demorado, eles me chamaram uns 40 min depois. (ta bom ne?? eu era a ultima!) Bom mas a chamada foi apenas para confirmar a minha consulta, e então esperaria mesmo para ser chamada pela Margarete, a secretária do Dr. Wilson, pra subir pra o consultório dele. Enfim esperei o tempo necessário para ser atendida. Detalhe: A sala de espera estava super lotada, mas não eram todos para o consultorio do Dr. Wilson, haviam mais médicos, mas para o Dr Wilson tinha muitos pacientes também...Dr. Wilson Paulo dos Santos
Tinha pessoas bem maiores que eu, uma moça coitada, super simpática e querida, ela era baixinha e muito muito obesa, penso que o imc dela deve ser de 50 pra cima, eu me senti magra perto dela... ai ja fiquei pensando, quando o Dr. me vir falando que quero a cirurgia bariatrica, ele vai rir da minha cara...
Quando eu subi pro consultório, uma menina me olhou e perguntou: Você fez a cirurgia?? Eu fiquei super sem graça e disse que não.. e sai dali bem rapidinho pra não vir mais perguntas/considerações sobre esse assunto rsrs...
Enfim... Chegou a minha vez, entramos no consultório, eu e minha irmã e finalmente, apertei a mão do meu anjo de resgate!

A decisão

Eu ja tive outros blogs, mas não consigo manter por muito tempo... Porém esse assunto, a cirurgia, é um assunto que me corroe muito, portanto, escrever sobre isso, ajuda aliviar a minha ansiedade.   
Até os 8 anos de idade, eu era magrinha, uma criança normal. Comecei a engordar desde então...
Na verdade nunca fui uma obesa mórbida, e nem sou hoje. De acordo a tabela, minha obesidade é grau I.
O fato é que eu sempre lutei contra a obesidade, fiz todas as dietas malucas que ouvi falar, procurei endócrinos, nutricionistas, esteticistas, massagistas e etc.... cheguei a quase alcançar minha meta, mas não consegui manter o peso. Então teve uma época que eu resolvi assumir meu peso e não lutar contra isso mais. Assumir que eu era gordinha e assim seria até morrer. Foi quando tudo na minha vida começou a não ter sentido mais, e comecei a perceber todo o preconceito e fiquei muito mais infeliz.
Eu já havia ouvido falar na cirurgia bariatrica, tenho varios parentes e amigos que fizeram e estão hoje muito, muito, muito felizes.
Um dia eu conversando com a minha prima que fez a cirurgia, reclamando da vida, e do meu peso, ela me indagou: "Porque você não faz a cirurgia bariatrica?"
Eu achava que nenhum médico aceitaria fazer essa cirurgia em mim, simplesmente porque, eu não sou obesa morbida e nem possuo co-morbidades. Muita gente pode até me criticar, dizer que, isso é preguiça de fazer dieta e exercicios e blábláblá.
O fato é que resolvi correr atrás e pelo menos tentar!
Escolhi o médico: Dr. Wilson Paulo do Santos, orei muito a Deus e marquei a consulta

Olá mundo!

...Eu sou a Mimoo. Naturalmente não é meu nome verdadeiro, mas isso não importa.
Tenho em minha vida um grande projeto pelo qual estou me preparando para enfrentar: Cirurgia Bariátrica.
Sei que não é nenhuma novidade, muitas pessoas ja fizeram, mas no meu caso, tem uma pequena diferença: Meu imc é 33.
Irei descrever aqui todas as minhas dificuldades e conquistas.

Então, para quem quiser acompanhar, Seja Muito Bem Vindo!!